AS NOSSAS ACTIVIDADES

PRATICAMOS O BEM E PRESISAMOS DO SEU APOIO.

Café Convívio

Os Cafés-Convívio existem em Portugal há mais de vinte anos e constituem o espaço privilegiado de intervenção do Desafio Jovem na área da Prevenção.

Mais

Apartamento de Reinserção Social

Unidade residencial que procura ajudar na reorganização do plano sócio-profissional de pessoas com problemática de toxicodependência em fase conclusiva de tratamento.

Mais

Equipa de Intervenção Direta

Unidade de intervenção direta junto de populações toxicodependentes, das suas famílias e, de uma forma geral, junto das comunidades afetadas pelo fenômeno da toxicodependência.

Mais

Gabinete Jurídico

O apoio e aconselhamento social e jurídico são cruciais para assegurar condições sociais e de acolhimento dignas aos carenciados de Lisboa.

Mais

Centro Comunitário

Neste espaço oferecemos possibilidade de voluntariado, apoio escolar, tempos de confraternização e algumas atividades esporádicas que fortaleçam a socialização entre os utentes.

Mais

Refeitório Social

Proporcionar à população carenciada e em situação de pobreza extrema, respostas ao nível de bens de primeira necessidade, alimentação.

Mais

Café Convívio

Os Cafés-Convívio existem em Portugal há mais de vinte anos e constituem o espaço privilegiado de intervenção do Desafio Jovem na área da Prevenção. Trata-se de um local informal de atendimento gratuito e direto a toxicodependentes e famílias.
Para os toxicodependentes esta deverá ser a primeira forma de contacto com a Instituição do Desafio Jovem. O processo de admissão avançará na medida em que o utente comparece regularmente às sessões.


Presentemente, existem Cafés-Convívio a funcionar por todo o País, e em Marvila funciona nas instalações do CAS. O Desafio Jovem faculta o seu curso de formação em prevenção aos cooperadores de Café-Convívio e presta todo o apoio e acompanhamento solicitados.

Apartamento de Reinserção Social

O Apartamento de Reinserção Social é uma unidade residencial que procura ajudar na reorganização do plano sócio-profissional de pessoas com problemática de toxicodependência em fase conclusiva de tratamento. Funciona como medida de apoio à inserção social.

Equipa de Intervenção Direta

A Equipa de Intervenção Direta é uma unidade de intervenção direta junto de populações toxicodependentes, das suas famílias e, de uma forma geral, junto das comunidades afetadas pelo fenômeno da toxicodependência.


Com vista à integração de pessoas com a problemática da toxicodependência em processos de recuperação, tratamento e reinserção social, a Equipa de Intervenção Direta, dá seguimento aos encaminhamentos feitos por parceiros de Equipas de Rua no espaço do CAS.

Gabinete Jurídico

O apoio e aconselhamento social e jurídico são cruciais para assegurar condições sociais e de acolhimento dignas aos carenciados de Lisboa. O aconselhamento aos requerentes, é prestado por profissionais voluntários, decorrendo durante a semana, mediante inscrição prévia. De forma gradual, no decorrer da definição da situação jurídica do utente, é deliniado, conjuntamente, um projeto de vida, alicerçador da sua transição para a sociedade.

Centro Comunitário

O Centro Comunitário do CAS tem por objetivo cooperar no apoio social à família e comunidade. Neste espaço oferecemos possibilidade de voluntariado, apoio escolar, tempos de confraternização e algumas atividades esporádicas que fortaleçam a socialização entre os utentes.

Refeitório Social

O Refeitório Social é uma valência que surgiu em maio de 2010, com o objetivo de proporcionar à população carenciada e em situação de pobreza extrema, respostas ao nível de bens de primeira necessidade, alimentação. Fornecemos diariamente cerca de 50 refeições.

O local de funcionamento é na sede da ACRAS (2ª a 6ª-feira das 12h30 às13h30) e para o ingresso no Refeitório Social, é analisada toda a situação económica, social e familiar do agregado e/ou indivíduo.

No sábado fornecemos jantar das 19h00 às 20h00 sem necessidade de ingresso. Com a actual conjuntura económica tem vindo a notar-se um agravamento das situações de pobreza e vulnerabilidade e foi por esse motivo que os parceiros sociais diligenciaram no sentido de proporcionar à população alguma qualidade de vida, satisfazendo as necessidades básicas.